Panteão Celta - Morrigan

sexta-feira, 24 de março de 2017


Para quem nos acompanha pelo Instagram, na semana passada, houve vários mini posts sobre Morrigan, como um início de estudo do panteão celta/druida/gaélico. Então, como estamos nos focando nos Elementais do Ar durante esta nova semana, falando de raciocínio, de espiritualidade e de intelecto aguçado, decidimos pegar todos os textos, montá-los em uma única postagem e publicá-lo aqui. Quer conhecer a Deusa celta do amor e da guerra? Acompanhe a matéria e desvende os mistérios de Morrigan...

Morrigan é a Deusa celta do amor, da guerra e da morte, também protetora das bruxas e das sacerdotisas. Seu símbolo é o corvo, animal no qual pode transmutar-se. Muitos a associam ao Elemento Terra. Porém, por ser uma hábil guerreira que manipula as lâminas com maestria, levando em conta, também, a ave que a representa, bem como o fato de ser uma divindade da guerra, onde o intelecto é aguçado nas estratégias de batalha, assim como sua exímia experiência na magia, eu (Kendra) associo Morrigan ao Elemento Ar, que ativa nosso saber ao nos conduzir aos raciocínios mais profundos. Já que a semana se iniciou com o naipe de Espadas, que tal falarmos sobre Morrigan um pouco? Conhecer essa divindade nos trará inúmeros benefícios, principalmente na hora de venerá-la. Morrigan é a personificação daquilo que cada bruxa idealiza de si mesma, mulher, sedutora, sábia, forte, guerreira, uma rainha que caiu de amores por um bravo herói, e esse foi seu maior dissabor... 
Morrigan era uma rainha guerreira, a melhor guerreira no campo de batalha, invencível, exímia. Manipulava a magia com maestria, ao ponto de cegar os adversários com uma névoa densa ou de deixá-los tão sedentos que seus corpos enfraqueciam. Consequentemente, o exército de Morrigan ganhava uma grande vantagem sobre os oponentes, tal como a vitória.
Alta, ruiva, com o poder de transmutação, transformava-se em corvo e em lobo. Então, em uma noite, Morrigan se apaixonou por um bravo guerreiro, um grande herói chamado Cuchulain. Ofereceu-lhe proteção nas batalhas em troca do seu amor. Porém, sem reconhecê-la, ele a desdenhou. Logo a seguir, ao ver um corvo pousado no galho de uma árvore, compreendeu que aquela linda ruiva era, na verdade, Morrigan. Contudo, já era tarde demais, o guerreiro já tinha aflorado a ira da Deusa ao recusar seu amor. Morrigan se colocou contra ele na batalha seguinte, jurou matá-lo, mas foi ferida pela espada do seu herói...
O corvo é um dos símbolos de Morrigan, e muitos veem a ave como mal auguro. Dessa forma, e por ser a Deusa da guerra e da morte, muitos colocam Morrigan como uma Deusa má e vingativa. Na verdade, é justamente ao contrário, afinal, Morrigan também é Deusa do amor e da magia. O corvo é uma ave que se alimenta dos corpos mortos em batalha. Portanto, é um simbolismo de transformação para uma nova vida. Os celtas não viam a morte da mesma forma que os povos da modernidade a enxergam. Para eles (e para todos os neopagãos), a morte era apenas uma passagem rumo à evolução espiritual. 
Apesar de muitos compararem Morrigan às valkyrjas, eu costumo colocá-la em um patamar mais alto. Morrigan, mesmo sendo mulher, tem muitas idiossincrasias e simbolismos que a conectam com Odin, o Deus supremo de Asgard na mitologia nórdica. O corvo voando no campo de batalha, que acreditamos ser a própria Deusa, lembra Hugginn e Munnin (Pensamento e Memória), os corvos de Odin que observavam tudo em Midgard (terra dos humanos) e relatavam ao grande Deus depois. O lobo, outro animal no qual a Deusa se transmuta, nos faz lembrar de Geri e Freki, os lobos de Odin que devoram as carnes dos combatentes mortos em batalha. Morrigan é dona da sabedoria, Odin deu um dos olhos para conquistá-la... Morrigan é guerreira exímia em batalha, podemos dizer o mesmo de Odin... E muitas outras particularidades que podemos alistar.
Como podemos nos aproximar de Morrigan? O primeiro passo é estudando sua história e conhecendo-a. É importante lembrar que não existe uma "receita infalível" para se conectar com as divindades. Cada uma tem suas idiossincrasias, porém, nossa intuição sempre nos inspirará sobre o que deve ser feito. No caso de Morrigan, quando a batalha da vida está dura demais, a Deusa se coloca em nosso auxílio. Sendo uma divindade que representa vida, morte e renascimento, o ideal é associar os símbolos da nossa batalha (trabalho, família, amor, vida em sociedade, finanças) aos que representam o nascer, o viver e o morrer (transformar). Exemplo: você é um (a) professor (a) e há uma situação difícil no trabalho. Pegue um dos livros didáticos que usa em sala de aula e coloque-o em seu altar com algumas sementes sobre a capa. Sua "guerra" é como o salário baixo? Coloque seu holerite com um vaso de flor por cima. Quer ser recompensado como merece? Escreva tudo que precisa ser transformado em um papel e coloque galhos secos por cima. Então, chame por Morrigan. Abra seu coração e peça à Deusa que lhe oriente nessa batalha injusta que contra ti travaram. Se tiver um athame, coloque-o também sobre o altar, afinal, Morrigan é exímia em manipular armas brancas em uma peleja. Deixe tudo ali até que a situação se resolva. A cada dia, ore e agradeça. Logo verá as glórias da vitória.
Eu tenho a mania de associar tudo com tudo, de buscar uma ligação entre as facetas do ocultismo, principalmente quando se referem aos Deuses e aos Elementais da natureza, pois é neles que busco o equilíbrio para todos os âmbitos da minha vida. No início desta postagem, eu liguei Morrigan ao Elemento Ar, levando em conta o talento primoroso da Deusa com as lâminas em uma batalha e o seu intelecto aguçado como grande estrategista para vencer suas guerras e aplicar a magia. No entanto, podemos associar Morrigan também aos outros elementos da natureza.
• Elemento Fogo - a coragem, o furor nas batalhas, a sedução, a beleza.
• Elemento Terra - a ação, a transformação, a morte sendo moldada como fertilizante para o novo renascimento.
• Elemento Água - a intuição, o "saber como agir", prever as ações inimigas, o amor.
Morrigan, certa vez, teve uma visão premonitória sobre os dias atuais, prevendo tempos de desamor, de injustiça, de líderes corruptos e cruéis, de um povo com total descaso com a natureza e com seus semelhantes, a intolerância, a arrogância e o julgamento sobre as ações alheias que se instalou nos corações humanos. E a Deusa chorou quando profetizou esses dissabores...
Morrigan tem muitos títulos, porém, na minha opinião, outros tantos deveriam fazer parte da sua lista. Deusa da sedução é um termo que se enquadraria bem em um dos seus aspectos, afinal, alguns textos a conectam com "sangue e sexo", como é o caso da sua relação com o Deus Dagda. Em troca de informações sobre os fomorianos (Segunda Batalha de Moytura), Dagda satisfaz os desejos de Morrigan, amando-a no chamado Vau da Destruição. Todo esse enredo, apesar de trágico, é simplesmente sedutor! Para completar esta parte, Morrigan anunciava suas profecias através de poesias. Ora, e os poetas, ainda que intensos e dramáticos, não eram chamados de extremamente apaixonados? Dessa forma, Morrigan deveria também receber o título de Deusa da Profecia e dos Poetas.
Morrigan sempre foi conhecida por incitar grandes batalhas e por provocar os guerreiros (tanto os seus escolhidos, instigando-os ao combate, quanto os adversários, provocando-lhes extremo temor). Seu grito de guerra nas noites que antecediam as batalhas poderia ser comparado ao canto fúnebre e profético das banshees. Seus ataques envolviam primorosas lutas de espadas e, também, exímios feitiços que colocavam os oponentes em desvantagens. Eis outro título que cairia muito bem a Morrigan, Deusa da Magia. Aqui, vale um adendo... Quando nos encontramos em uma situação "perigosa" em nossa vida (seja no âmbito profissional, financeiro, amoroso ou espiritual), algo que pode ser comparado a uma grande batalha para nós, é o momento de chamar pela Deusa e pedir para que sua magia nos oculte dos olhos inimigos para que ganhemos tempo para reorganizar a mente e elaborar uma estratégia de defesa. Tenha fé, Morrigan não deixa de atender aqueles que a aceitam como patrona. Logo verá a solução para seu problema.
Outro título que Morrigan merecia receber seria o de Deusa protetora dos guerreiros, afinal, ela nunca hesitou em proclamar os feitos dos seus heróis escolhidos (obviamente, de maneira poética e trágica).
Os antigos povos irlandeses costumavam realizar um ritual de Réquiem onde os corpos de seus entes queridos eram deixados a céu aberto para que suas carnes fossem consumidas pelos corvos, pois acreditavam que essas aves, na verdade, levavam a alma do falecido a outro mundo, onde seria transformada e evoluída antes do renascimento. Depois disso, quando apenas os ossos restavam, os mesmos eram enterrados nas proximidades das terras da família. Dessa forma, podemos colocar Morrigan também como Deusa da Transformação, afinal, além de transmutar-se, como já foi dito acima, quando se transformou em corvo e consumiu a carne de seu amado herói Cuchulain, Morrigan estava apenas conduzindo sua alma a outro nível de existência, uma transformação.
Morrigan é uma Deusa admirável e de muitas facetas! 

Audaciosa e bela,
Teu olhar voraz aterroriza.
Em uma piscada, cega a tropa inimiga.
Uma bruma densa paira no ar.
A confusão os assola.
É Morrigan quem chega para lutar,
Com sua lâmina sagaz, um exército desmonta.

O corvo sobrevoa o campo de batalha,
Escolhendo as almas que serão transformadas.
Como um canto fúnebre, a morte foi anunciada,
Sangue e sedução são suas armas.

Oh, poderosa Morrigan,
Amor e guerra te personificam,
Poesia e profecia, artes que te dignificam.
Tanto nos ensina,
Nascer, viver e morrer.
Venha para nos orientar
Na jornada do novo renascer.

A ti somos gratos
Por tudo que foi ensinado.
Que em nossos corações as lições formem raízes,
Que nada fique apenas conosco, mas que tudo seja repassado.

Tu que choras pela desorientação humana,
Pela natureza manchada,
Transforme nossas almas insanas
Em evoluídas e regeneradas.

Contigo, aprendi mais de mim mesma. Ao teu lado, descobri minha arte. Na tua companhia, raciocinei sobre os fatos. Com teus conselhos, tracei meus planos. Meu intelecto foi ativado... Minha vida rompeu as barreiras, todos os espinhos foram arrancados. Os inimigos não me encontram, não me atacam. Os caminhos se abriram... Fui transformada, nova vida, novas guerras, novos fatos!

— Poema e texto de Kendra M. Garner —

Caso tenha alguma dúvida ou precise de conselhos particulares, fale conosco:
dragoesdaluanegra@gmail.com

Abençoados sejam!






*Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. A reprodução parcial ou total deste texto, sem prévia autorização, está terminantemente proibida e é protegida por lei*.

0 comentários:

Postar um comentário